Make your own free website on Tripod.com
Arda
Home
Origem dos Centauros
Origem dos Faunos
Origem dos Homens-Fera
Origem dos Lobisomens
Origem das Diadres
Origem dos Meio-Sereianos
Origem dos Elfos
Origem dos Anões
Origem dos Hobbits
Gigantes e Meio-Gigantes
Origem dos Meio-Anjos
Origem dos Meio-Demônios
Origem das Veelas
Origem dos Vampiros
Origem das Fadas

Origem dos Elfos

legolas.jpg

Um pouco sobre os elfos

História dos Elfos

Na exata hora em que Varda, a Senhora dos Céus, reacendeu as brilhantes estrelas sobre a Terra-média, as Crianças de Eru despertaram no Lago Cuiviénen, a "água do despertar". Essas pessoas eram os Quendi, que são conhecidos como Elfos; e quando vieram a existir a primeira coisa que notaram foi a luz das novas estrelas. Por isso os Elfos amam as estrelas acima de tudo e adoram Varda, a quem chama de Elentári, Rainha das Estrelas, acima de todos os Valar. E mais tarde, quando a nova luz atingiu os olhos dos Elfos no momento do despertar, ficou presa neles, e daí vem o brilho dos olhos dos Elfos.

Desta forma Eru, o Único, que os nascidos na terra chamam de Ilúvatar, criou a mais bela e mais sábia das raças. Ilúvatar declarou que os Elfos teriam e construiriam maiores belezas do que qualquer outra raça, que possuiriam as maiores felicidades e a maiores tristezas. Deveriam ser imortais e eternos, e deveriam viver tanto quanto a terra viveria. Nunca conheceriam doenças nem pestilências, mas seus corpos seriam como a terra, em substância, e poderiam ser destruídos. Poderiam ser mortos com fogo ou aço na guerra, ser assassinados ou mesmo morrer de uma grande tristeza.

A estatura dos Elfos seria a mesma dos Homens, que ainda estavam por ser criados, mas os Elfos seriam mais fortes de espírito e de membros, e não ficariam mais fracos com a idade, mas sim mais sábios e belos.

Apesar de muitos menores em estatura e força do que os Valar, os Elfos dividiram a natureza dos poderes destes mais do que os Segundo Nascidos o fazem. É dito que os Elfos tem uma aura como o brilho da Lua, logo abaixo da borda da Terra. Seus cabelos são como cordões de ouro ou tecidos de prata ou azeviche polido, e a luz de estrelas brilha ao redor deles, em seus cabelos, olhos, roupas prateadas e preciosas mãos. Sempre existe luz na face dos Elfos, e o som de suas vozes é variado e bonito, sutil como água. Dentre todas as suas artes, são mestres em oratória e lingüística, canções e poesia. Elfos também foram as primeiras criaturas da terra a falar com vozes, e nenhuma outra cantou antes deles. E justamente chamam a si mesmos de Quendi, os "que falam com vozes", pois ensinaram a arte da fala a todas as raças na Terra-média.

Na Primeira Era da Luz das Estrelas, após a Queda de Utumno e a derrota de Melkor, o Inimigo Escuro, os Valar chamaram os Elfos para as Terras Imortais do Oeste. Isto ocorreu antes do Surgimento do Sol e da Lua, quando apenas as estrelas clareavam a Terra-média, e os Valar desejaram proteger os Elfos da escuridão e do mal oculto que Melkor deixou para trás.

Então, nas Terras Imortais que ficam além dos mares do Oeste, os Valar prepararam um local chamado Eldamar, que significa "casa de elfos", onde é dito que em seu tempo os Elfos construíram cidades com domos de prata, ruas de ouro e escadarias de cristal.

Desta forma os Elfos se dividiram pela primeira vez; nem todos desejavam deixar a Terra-média e adentrar a Luz Eterna das Terras Imortais. Sob o convite dos Valar um grande número foi para o Oeste, e estes foram chamados de Eldar, o "povo das estrelas", mas outros permaneceram por amor à luz das estrelas e foram chamados Avari, "os receosos". De qualquer forma eles eram hábeis nos modos da natureza, como os da sua raça, e embora imortais, eram um povo menor. Eles permaneceram principalmente nas terras orientais onde o poder de Melkor era maior e então definharam.

Os Eldar também foram conhecidos como o Povo da Grande Jornada, pois viajaram para o oeste pelas terras sem trilhas da Terra-média em direção ao Grande Mar por muitos anos. Estes Elfos eram das Três Famílias, governadas por três reis. A primeira família era a dos Vanyar, e Ingwë era seu rei; a segunda eram os Noldor, com Finwë como seu Lorde; e a terceira eram os Teleri governados por Elwë Singollo. Os Vanyar e Noldor alcançaram Belegaer, o Mar do Oeste, muito antes dos Teleri, e Ulmo, Senhor da Águas, veio até eles e os pôs numa ilha como um vasto navio. Então ele dirigiu os dois grupos sobre o mar para a Terras Imortais, para Eldamar, o local que os Valar lhes haviam preparado.

O destino dos Teleri foi diferente do de seus irmãos e separaram-se deles em várias outras raças. Devido aos Teleri serem os mais numerosos das três famílias, sua andança foi mais lenta. Muitos desistiram da jornada, e dentre estes estavam os Nandor, os Laiquendi, os Sindar e os Falathrim. Elwë, o Alto Rei, foi ele mesmo perdido e permaneceu na Terra-média. Entretanto a maioria dos Teleri continuou para o oeste, tomando Olwë, irmão de Elwë, como seu rei, e atingiram o Grande Mar. Então esperaram Ulmo, que finalmente os levou até Eldamar.

Em Eldamar, os Vanyar e Noldor construíram uma grande cidade chamada Tirion na colina de Túna, enquanto nas costas os Teleri construíram o Porto dos Cisnes, que em sua linguagem era Alqualondë. Estas cidades dos Elfos de Eldamar eram as mais belas de todo o mundo.

Na Terra-média, os Sindar [que eram chamados de Elfos Cinzentos], através dos ensinamentos de Melian, a Maia, cresceram mais do que quaisquer outros Elfos nas Terras Mortais. Um reino encantado com grande poder foi feito nas Florestas de Doriath, e foi o maior dos reinos entre os Eldar que não viram as Árvores dos Valar. Com a ajuda dos Anões das Montanhas Azuis os Sindar construíram Menegroth, chamado de Mil Cavernas, pois ficava sob as montanhas. Apesar disso era como uma floresta com lanternas douradas. Através de suas galerias poder-se-ia ouvir a canção de pássaros e a risada da água cristalina correndo de fontes de prata.

Estas foram grandes Eras para os Eldar, tanto na Terra-média quanto na Terras Imortais. Foi durante esse período que o príncipe Fëanor, dos Noldor, forjou as Silmarils: três jóias como diamantes que brilhavam com uma chama que era uma forma de vida por si mesma, e brilhavam também com a Luz Viva das Árvores dos Valar.

Neste tempo, as mentiras que Melkor espalhou frutificaram, e houve conflitos e guerras. Com a Grande Aranha, Ungoliant, Melkor veio e destruiu as Árvores, e sua Luz se foi das Terras Imortais para sempre. Durante a Longa Noite que se seguiu, Melkor roubou as Silmarils e, com Ungoliant, fugiu através do Helcaraxë, o "gelo atritante", e retornou para a Terra-média para os buracos escuros de Angband, sua grande fortaleza.

Fëanor jurou vingança e os Noldor perseguiram Melkor até a Terra-média. Fazendo isso eles se tornaram um povo amaldiçoado, por terem roubado os barcos Cisne dos Teleri de Alqualondë e assassinado seus irmãos elfos. Este foi o primeiro fratricídio entre os Elfos. Com os navios dos Teleri os Noldor liderados por Fëanor atravessaram Belegaer, o Grande Mar, enquanto os Noldor liderados por Fingolfin, num ato de grande coragem, ousaram atravessar o Helcaraxë, a pé.

Como o "Quenta Silmarillion" conta, então começou a Guerra das Jóias. Os Noldor perseguiram Melkor e o nomearam Morgoth, o "Inimigo Negro do Mundo". A guerra foi amarga e terrível e, dos Eldar que estavam na Terra-média, poucos sobreviveram à luta. Finalmente, os Valar e muitos Eldar das Terras Imortais vieram e, na Guerra da Fúria, esmagaram Morgoth o Inimigo para sempre. Mas na guerra Beleriand foi destruída e coberta pelas ondas do vasto mar. Os grandes reinos daquela região desapareceram para sempre, bem como as cidades Élficas de Menegroth, Nargothrond e Gondolin. Apenas uma pequena parte de Ossiriand, Lindon, sobreviveu ao dilúvio. Este foi o último reino Élfico na Terra-média remanescente na Terra-média nos primeiros anos da Segunda Era do Sol. Muitos dos Eldar que sobreviveram à Guerra da Fúria retornaram ao Oeste e foram levados pelos navios brancos dos Teleri para Tol Eressëa na Baía de Eldamar. Ali construíram o Porto de Avallónë. Enquanto isso os Homens que auxiliaram os Eldar contra Morgoth foram para uma ilha chamda Númenórë.

Apesar disso, por um tempo, alguns Eldar permaneceram nas Terras Mortais. Um deles foi Gil-galad e ele foi o último dos Altos Reis dos Eldar na Terra-média. Seu reinado durou tanto quanto a Segunda Era do Sol e seu reino perdurou até a Quarta Era. Alguns lordes Noldor e Sindar uniram-se ao Elfos Verdes e fundaram eles mesmos reinos: Thranduil fez Greenwood, a Grande, seu Reino de Florestas e Celeborn e Galadriel governaram Lothlórien, o Reino Dourado. Naquela Era a maior colônia dos Eldar era Eregion, que os Homens chamaram Hollin, para onde muitos nobres Eldar foram. Eram chamados Gwaith-i-Mídain,mas mais tarde foram chamados de Elfos-Forjadores. E foi para eles que Sauron o Maia, o maior dos servos de Morgoth veio disfarçado. Celebrimbor, o maior dos Elfos-Forjadores da Terra-média e neto de Fëanor, que fez as Silmarils, vivia em Hollin. Por sua ordem e com sua destreza os Anéis do Poder foram criados, e devido a eles e ao Um Anel que Sauron forjou, a Guerra de Sauron e dos Elfos foi travada e depois dela muitas outras guerras.

As perversas batalhas da Guerra de Sauron foram terríveis. Celebrimbor morreu e sua terra foi arruinada, e Gil-galad mandou Elrond com muitos guerreiros de Lindon para auxiliar o povo de Eregion. Os Elfos que sobreviveram à destruição de Eregion fugiu para Imladris [que na Terceira Era foi chamada Valfenda] e escondeu-se do terror, e tomou como seu lorde Elrond Meio-Elfo. Mas, embora os Elfos não fossem fortes o suficiente para quebrar o poder de Lorde Negro enquanto ele mantivesse o Um Anel, seus aliados, os Numenorianos, cresceram em poder no Oeste. Os Numenorianos vieram em navios para Lindon e expulsaram Sauron das terras do Oeste. Em um tempo futuro, vieram novamente e capturaram o lorde Negro pessoalmente e o levaram acorrentado através do mar até suas terras.

Lá Sauron permaneceu até todas as terras de Númenórë serem engolfadas pelo Mar de Belegaer, e então veio a Mudança do Mundo quando as terras Imortais de Valinor e Eldamar foram removidas dos Círculos do Mundo. As Terras Mortais ficaram mais próximas umas das outras e as Terras Imortais ficaram à parte, inalcançáveis, a não ser pelos navios Élficos.

Mas na Segunda Era do Sol ainda restava Sauron, Senhor dos Anéis. Pois ele escapara da Queda de Númenor e retornada para seu reino em Mordor. Então a Última Aliança de Elfos e Homens foi feita. Destruíram Mordor e Barad-dûr, sua torre, e tomaram o Um Anel dele. Sauron e seus servos morreram e foram para as sombras, mas Gil-galad, o último Alto Rei dos Elfos da Terra-média, também foi morto, como também o foram quase todos os grandes lordes dos Numenorianos.

Então restaram poucos Eldar para olhar as terras de que a raça dos Homens lentamente foi tomando posse. Na Terceira Era, os Eldar da Terra-média eram apenas sombras do que foram no passado. Lindon permaneceu, mas ficou longe dos assuntos da Terra-média, e Círdan, senhor dos Portos Cinzentos, era o maior dentre eles. As preocupações dos Elfos pareciam ser somente deles, com uma exceção: o Senhor dos Anéis, que voltou a Mordor novamente e enviou seus servos, os Nazgûl, através das terras. Então os Elfos e os descendentes dos Numenorianos lutaram novamente no que foi chamada a Guerra do Anel. O Um Anel a este tempo foi destruído. Mordor caiu novamente, e, finalmente, Sauron sumiu para sempre, bem como seus servos todo o mal que ele impunha ao mundo foi quebrado. Na Quarta Era, no tempo do Domínio dos Homens, os últimos Eldar partiram no último navio brando que Círdan dos portos Cinzas fez, através do Caminho Reto. E assim o Povo das Estrelas passou para sempre para a terra além do alcance dos mortais, exceto em contos e talvez nos sonhos das crianças.

Direito Reservados, não copie!

Terra Média Das Mais Magnificas Raças